cartorio.coomigasp@hotmail.com
(94)-98811-7369 - Operadora Oi

ASSOCIADOS CUIDADO COM O PERIGO

A assembleia-geral é o Órgão supremo da COOMIGASP, dentro dos limites legais e estatutários, tendo poderes para decidir os negócios relativos ao objeto da COOMIGASP e tomar as decisões convenientes as desenvolvimento e defesa desta, e sua deliberação vincula a todos, ainda que ausentes ou discordantes” Art. 31 do Estatuto Social vigente da COOMIGASP.

 

 

A atual Diretoria da COOMIGASP eleita, legalmente, no dia 28/09/2014, após um período de intervenção judicial, que culminou com o processo eleitoral livre e democrático, onde os mais votados foram empossados no dia 10/10/2014, informa aos sócios cooperadores da COOMIGASP que:

 

 

Vem trabalhando, diuturnamente, com transparência para colocar a COOMIGASP nos trilhos, pois quando esta diretoria assumiu o comando desta casa há mais de um ano e meio atrás, encontrou um cenário de fazer dó, e que até hoje ainda não conseguiu arrumar todos os pontos pois muita coisa tem de ser feita.

Vale salientar que devido ao método de transparência e honestidade adotado por esta diretoria e devido ao período de paz, calma e tranquilidade que atualmente reina na COOMIGASP  durante este período, os frutos aos poucos começam a serem colhidos, pois autoridades tais como o Desembargador responsável pela causa dos recursos retidos na CAIXA, vendo a paz reinante, na cooperativa e a transparência nos negócios, já que as contas da cooperativa são prestadas à Justiça e aos garimpeiros, o Desembargador Dr. Jirair Meguelian, do Tribunal Regional Federal 1ª Região Brasília-DF, através do advogados Dr. Sergio Couto e Dr. Jose Gomes, solicitou do Presidente da COOMIGASP, Sr. Edinaldo de Aguiar Soares explicações sobre a atual situação da cooperativa e a tudo ouviu e gostou, cabe aos cooperados aguardarem sem causar nenhum conflito ou situação de instabilidade.

Há rumores de que uma, ASSEMBLEIA ILEGAL, está sendo anunciada para ocorrer em Curionópolis no mês de Setembro, e sobre isso, cabe à diretoria atual da COOMIGASP INFORMAR AOS SEUS COOPERADOS QUE;

Primeiramente isso não pode ser chamada de assembleia-geral dos garimpeiros, pois quem está convocando é COVARDE, pois utiliza-se de um advogado que não é associado, além disso esse(s) covarde(s) não respeita(m) o resultado das urnas, não sendo diretores legais nem do Conselho de Administração nem tão pouco do Conselho Fiscal não podem convocar assembleia-geral de garimpeiros da COOMIGASP e não tem escrúpulos de levar alguns garimpeiros a serem punidos exemplarmente, de acordo com o Estatuto Social vigente desta cooperativa. Não se adequa ao que preceitua o Art. 33 do Estatuto Social vigente da COOMIGASP.

Todos aqueles que participarem dessa mal-intencionada reunião, estão indo de encontro com o Estatuto Social vigente da cooperativa, pois os participantes desse movimento estarão, indubitavelmente, trabalhando contra a causa garimpeira, estarão criando um clima muito ruim para a causa dos garimpeiros.

E por estarem atuando em desconformidade com o Estatuto Social da cooperativa, no Art. 11, letras e, g, m, todos os que se participarem dos tais atos, sejam os signatários, ou outros participantes serão responsabilizados civil e criminalmente por tudo o que possa acontecer que cause danos à causa garimpeira, tipo, atrasando ainda mais a decisão da Justiça Federal, responsável pela ação dos fundos retidos na CAIXA, pois tudo o que a cooperativa tem feito é manter os garimpeiros em paz, em união, para sinalizar para as autoridades que estamos prontos para sentarmos e conversar sobre a melhor maneira de aplicar os recursos oriundos da sobra de ouro retidos na CAIXA.

Não se enganem os garimpeiros, nem se deixem enganar, pois aquele que ajudar a desconstruir o que está sendo construído vai ter contra si as penas que estão escritas no Estatuto Social da cooperativa.

São atitudes como essa que afastam as boas empresas, as empresas sérias de fazerem parcerias boas com os garimpeiros, as que aparecem acham que o risco é muito alto, devido à essas instabilidades provocadas por irresponsáveis.

Pensem bem antes de participar desse desastre anunciado!!.

ELIMINAÇÃO

Art. 13 CAPUT do Estatuto Social vigente da COOMIGASP.

“A eliminação do associado será aplicada, por Decisão do Conselho de Administração, em virtude de inflação legal e estatutária, mediante termo firmado no livro de matrícula, pelo Presidente da COOMIGAP, com os motivos que a determinaram.” Art. 13 CAPUT do Estatuto Social vigente da COOMIGASP.

§§ 2º, 3º,4º 5º e 6º do Estatuto Social vigente da COOMIGASP.

 

 

PALAVRA DO PRESIDENTE

 

20160704_104451

 

Venho a público informar a todos os associados desta entidade que:

A Coomigasp sempre esteve e sempre estará com todas as portas abertas para receber seus associados, fato este, que nas gestões anteriores nunca aconteceu, que sempre estou disponível a dar esclarecimentos a todos os sócios, afim de que uma administração, pode trabalhar com transparência e seriedade.

Vejamos algumas conquistas:

 

  • Pela primeira vez na história da Coomigasp a Diretoria tem encaminhado à Justiça, todas as prestações de contas de despesas e receitas da entidade para que os mesmos possam acompanhar de perto a movimentação financeira.
  • Pela primeira vez na história, a Coomigasp está de portas abertas para receber seus associados, isto pode ser comprovado por todos que aqui já visitaram, afim de que fossem tiradas todas suas dúvidas.
  • Pela primeira vez a Coomigasp está legalizada perante as autoridades, desde a Organização das Cooperativas Brasil -OCB até a Receita Federal.
  • Pela primeira vez a Coomigasp nesses 32 anos de existência está com a área documentada e está sendo dado início os trabalhos no material secundário, sem contar que todos os associados que aqui vieram e que virão têm a liberdade e a autorização do Presidente para visitar o projeto e como está sendo implantado.
  • Pela primeira vez o Presidente da Coomigasp é convidado para se apresentar perante a Justiça Federal para fazer uma explanação do cenário atual da Coomigasp, e que isto agradou e deu crédito diante da Justiça Federal.

Portanto, até agora o Conselho de Administração não entendeu qual a razão de querer criar tumulto com afinco de destruir tudo aquilo que neste custo prazo desta gestão tem sido construído para o bem de todos.

 

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

*